DESINFECÇÃO AMBIENTAL NO HABITAT DOS GATOS

DESINFECÇÃO AMBIENTAL NO HABITAT DOS GATOS

Protocolo inicial de desinfecção

  • Eliminar todos os tapetes, cobertores, coleiras, escovas e brinquedos em tecido dos gatos. Eliminar quaisquer outros objectos que não possam ser repetidamente aspirados, esfregados e desinfectados. Adquirir um novo aspirador com mangueiras que possam ser limpas facilmente. Este aspirador não deverá ser dispendioso, uma vez que é necessário eliminá-lo no final do tratamento.
  • Retirar e limpar todos os tecidos e decorações. Em habitações onde existam diversos animais, especialmente em gatis, remover e limpar igualmente todas as tubagens e placas de aquecimento e ventilação. Antes de voltar a colocar as placas, instalar por trás destas filtros de poeira descartáveis, que podem ser adquiridos em estabelecimentos de artigos para o lar, e ajudarão a manter os esporos fora das tubagens. Nalguns gatis poderá ser necessário recorrer a uma limpeza profissional dos sistemas de aquecimento e refrigeração.
  • Se possível, coloque na janela uma ventoinha que remova ar para o exterior. Aspire cuidadosamente todas as superfícies. Remova o pó de todas as superfícies e saliências com um pano electrostático descartável. Estes panos descartáveis podem ser utilizados regularmente para apanhar esporos e poeira que não foram eliminados pela aspiração.
  • Esfregue todas as superfícies com um detergente cuja utilização seja segura em locais onde se encontram gatos. Enxagúe bem todas as superfícies: idealmente retire a água suja por aspiração. Aplique uma solução de lixívia a 1:10 em todas as superfícies não porosas ou, quando permitido, utilize enilconazole. Deixe a solução de lixívia actuar durante pelo menos 10 minutos, para que a acção fungicida seja máxima. Quando utilizar outros produtos, certifique-se no rótulo do tempo de contacto necessário. Utilize sempre uma ventilação adequada. Utilize um desumidificador portátil nas divisões onde os gatos se encontram para manter a humidade baixa. Pois ambientes húmidos favorecem a viabilidade dos esporos.

Medidas de desinfecção diárias e semanais

  • Diariamente, aspirar todas as superfícies e utilizar panos de pó electrostáticos para remover a poeira e os esporos. Dependendo do número de gatos na mesma divisão, lavar o chão e quaisquer outras superfícies com que os animais contactem com um detergente seguro.
  • Semanalmente, realizar as acções diárias e em seguida aplicar um desinfectante em todas as superfícies. Os desinfectantes podem ser utilizados diariamente, mas são muitas vezes desagradáveis e irritantes para asa pessoas e para os animais.

Controlo adicional em gatis

Coloque cortinas de plástico no interior das vias de acesso prevenindo desta forma que os esporos escapem. Quando estiver a cuidar dos animais e a limpar as suas instalações coloque por cima do seu vestuário sacos de lixo descartáveis. Mude de calçado antes de entrar e depois de deixar as áreas de tratamento dos gatos. Não ligue aparelhos de ventilação se estes soprarem ar através da instalação.

Verificou-se num ensaio que o sulfureto de cálcio e o enilconazole tinham uma actividade 100% fungicida, mesmo quando a concentração recomendada era diluída a um para quatro. O enilconazole é o fármaco mais utilizado em instalações de aves para desinfecção de espécies de Aspergillus e está autorizado pelo EPA. Quando é utilizado off-label para desinfectar instalações muito contaminadas por M.canis, o spray ou o nebulizador deve ser utilizado tal como é recomendado em relação à exposição humana e à limpeza prévia do local. O produto é corrosivo e perigoso ou mesmo fatal quando ingerido. A clorhexidina e o Virkon S não são recomendados como desinfectantes para fungos. No mesmo trabalho, verificou-se não serem eficazes, mesmo quando utilizados numa concentração quatro vezes superior à recomendada pelo fabricante.

Prevenção da reinfecção

Quer se trate de apenas um gato ou de vários gatos numa mesma habitação, o risco de infecção é relativamente baixo se os animais forem mantidos sempre em casa. Nestas situações, as vias de exposição mais prováveis são a chegada de um novo animal ou a exposição a outros animais em estabelecimentos de limpeza e alojamento e mesmo em clínicas veterinárias. Em gatos expostos a outros animais fora de casa é mais provável que a carga de exposição a esporos seja baixa. Um gato saudável, que realize a sua higiene normalmente consegue geralmente remover os esporos mecanicamente. Todos os gatos e cães novos numa habitação devem ser examinados com o objectivo de detectar problemas de dermatofitose. Caso o novo animal seja oriundo de uma loja de animais ou de um abrigo, deve ser submetido a um tratamento tópico com sulfureto de cálcio enquanto se aguardam os resultados da cultura.